RFI. Para José Ramos-Horta o que existe é subnutrição, e apelou à comunidade internacional para aumentar a assistência humanitária à Guiné-Bissau. Ramos-Horta reage assim ao facto de o Programa Alimentar Mundial ter vindo a público dizer que estava com dificuldades financeiras para transportar alimentos para acudir 300 mil pessoas necessitadas.

Para Ramos-Horta, os solavancos políticos não podem afectar a ajuda internacional à população.

leia mais