Hoje, trago-vos uma história comovente. A história de Sanan Rai.

A história de uma ilha que que avista a nossa capital Díli, onde vivem oito mil habitantes e as suas tradições estão lentamente a morrer: Ataúro.

Nos últimos quatro anos, a Empreza Di’ak, uma ONG que prospera na pesquisa de rendimento sustentável para aldeias em todo o Timor-Leste, descobriu que os recursos em Atauro são sazonais e limitados, especialmente o peixe (veja o projeto Ikan Di’ak – Bom Peixe). Depois de uma pesquisa minuciosa, uma pequena aldeia remota foi detetada, como um antigo centro de cerâmica da ilha, bem conhecida pelos seus potes de barro – Sanan Rai.

As importações baratas e falta de comunicação quase extinguiram o negócio, que hoje em dia apenas duas Avós na casa dos 90 anos sabiam fazer estes potes. Apresento-vos a Avó Joana Ximenes (96 anos!!) e a Avó Katerina Martins (94 anos!!).

Rapidamente a Empreza Di’ak voltou ao terreno para documentar e aprender o processo tradicional de fabrico dos potes e investir no treino de novas mulheres da comunidade.
Hoje em dia, mais de 20 mulheres aprenderam a técnica e através da Empreza Di’ak, começaram a vender para ganhar um rendimento sustentável. O último feedback que tive: a primeira grande venda foi um enorme SUCESSO: TUDO VENDIDO!

É realmente extraordinário ver pequenas histórias como esta, tornarem-se um sucesso, trazendo alegria aos nossos irmãos e irmãs mais velhas. A trazer de volta os seus conhecimentos para as gerações futuras!

Que Deus os abençoe a todos.

***

Vou deixá-los com uma pequena história da ONG que o Filipe e a Ariana criaram e que eu apoio com orgulho desde o primeiro dia.

Empreza Di’ak

Em 2008, Filipe Alfaiate era Associado Sénior da Sociedade de Advogados internacional Clifford Chance, baseada em Londres e a Ariana trabalhava na Save The Children, quando o Filipe foi convidado para trabalhar como assessor jurídico no Gabinete do Primeiro-Ministro, Kay Rala Xanana Gusmão.

Filipe tem família e laços emocionais com o país, por isso, prontamente aceitou o convite e em 2009 os dois se mudaram de Londres para Díli, para uma nova aventura.
767127

Depois de um ano a trabalhar no Gabinete do Primeiro-Ministro, Filipe decidiu não renovar o seu contrato e prontamente começar a trabalhar diretamente com zonas rurais desfavorecidas.

Desde 2010, a Empreza Di’ak convidou pessoas com a mesma visão, tanto do setor privado como do setor terciário, para se juntarem nesta nova abordagem inovadora de desenvolvimento em Timor-Leste: combater a pobreza quebrando barreiras através de negócios sustentáveis e replicáveis, que capacitam os timorenses e têm um impacto social.

A Empreza Di’ak acredita que todos os timorenses têm de ter a oportunidade de construir uma vida melhor, através da combinação do seu trabalho e o poder do negócio.

 

A ED tem neste momento três negócios fundamentais:

FUTURU DI’AK (BOM FUTURO)
Capacitação económica de mulheres através de modos de vida sustentáveis

A Futuru Di’ak identifica e implementa negócios de mercado para mulheres vulneráveis. Desde 2010, ED providenciou formação a mais de 100 mulheres vulneráveis para desenvolver competências, equipamento e orientação para começar e gerir um pequeno negócio, ou para obter um emprego.

Futuru Di’ak também providencia formação para micro-negócios on-the-job a mulheres sobreviventes de violência doméstica, para ajudar na sua reintegração social.

FÓRUM DI’AK (FÓRUM DE INOVAÇÃO)
Unindo inovação Social, Construindo Coligações

O Fórum de Inovação é uma inovação de reflexão social (Think-Tank) que põe ideias em ação, e um one-stop-shop para investigadores como repositório de informação sobre Timor-Leste.

A Empreza Di’ak desenvolve soluções criativas e impactantes de negócios e desenvolvimento de mercados, promovendo coligações entre o governo, setor privado, e produtores locais para um crescimento inclusivo.

NEGÓSIU DI’AK (BOM NEGÓCIO)
Negócios locais para mudanças locais

Negósiu Di’ak cria oportunidades para pessoas em comunidades desfavorecidas construírem uma vida melhor, através da combinação dos seus esforços, poder do negócio e empresas sociais com foco na pesquisa, produção local, desenvolvimento do micro-negócio, ligações de mercado (local e internacional) e da cadeia de abastecimento e desenvolvimento dos mercados. Os negócios pró-pobres – em áreas que vão desde a agricultura, pescas, aves ao turismo e artesanato – são adaptados à realidade timorense e concecionados para reduzir importações e desenvolver a economia local.

Conheça alguns dos últimos sucessos da Empreza Di’ak, no desenvolvimentos das cadeias de abastecimento, ligações de mercado, formação e orientação profissional.

Siga a Empreza Di’ak no Facebook ou visite o website.

Veja a galeria de fotos incrivéis das Avós, Sanan Rai e a equipa da Empreza Di’ak.